Postado em 06 de Outubro de 2016 às 15h03

“Antes do oeste catarinense”

Notícias em destaque (318)

Desde as publicações mais antigas até a década de 1990, a maior parte do que vinha sendo produzido voltava-se para o estudo de sociedades pré-coloniais que viveram no litoral. Essa situação começa a se reverter. Pesquisas fortaleceram-se também no oeste, a partir da criação do Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina (CEOM) e, mais especificamente, a partir de 2002, com o Núcleo de Estudos Etnológicos e Arqueólogos. Prova do recente avanço são as diversas publicações que têm sido produzidas por este Centro e que trazem trabalhos de Arqueologia. Outro fator importante na mudança de cenário são os projetos que passaram a ser produzidos com o advento da arqueologia preventiva.

O livro Antes do oeste catarinense, publicado pela Argos, faz parte da Série História e Patrimônio, que já lançou duas importantes obras sobre museologia e vem consolidar a evidente preocupação do CEOM com o patrimônio arqueológico de Santa Catarina. Os capítulos partem do resgate da história das pesquisas nesta região e abordam todas as sociedades que nela viveram: caçadores e coletores, grupos ancestrais das populações indígenas e ocupação histórica. As perspectivas teóricas e metodológicas bastante diversas tratam de temas importantes, como a produção artefatual lítica e cerâmica, a subsistência, os enterramentos e os contatos entre diferentes grupos, dando a devida e necessária atenção atualizada ao oeste, fundamental para conseguir um maior entendimento da história de Santa Catarina.

Veja também

“Revelando o Contestado: as fotografias na história do centenário da guerra”01/12/15 A Guerra do Contestado é um grande marco na história catarinense e brasileira. É tema de muitos livros, teses, dissertações e artigos, além de músicas, poesias, peças de teatro, documentários e filmes. A guerra e seus personagens ainda são lembrados nos nomes de ruas, praças, edifícios, empresas, associações, museus,......
“Voto é marketing, o resto é política”28/10/16 Em 1992, para titular um livro editado por Rodolfo Grandi (UFPA), o professor Cid Pacheco (UFRJ) criou este aforismo bem-humorado, que ganhou notoriedade. Mais tarde, a professora Lucia Reis (UFRJ) acrescentou-lhe uma sábia interrogação:......
Argos realiza ação no campus São Lourenço24/04/19 Nesta quinta-feira, 25 de abril, a Argos Editora da Unochapecó e a Livraria Universitária estarão presentes no campus São Lourenço, a partir das 18h, no Hall de entrada. Todas as obras da Editora Argos estarão com......

Voltar para Notícias