Os partidos políticos e a elite chapecoense: um estudo de poder local - 1945 a 1965

Leia sobre o início da política chapecoense

Em 13/11/2020 16:47
Atualizado em 13/11/2020 17:02

Entrevista por Editora Argos

Os partidos políticos e a elite chapecoense: um estudo de poder local - 1945 a 1965

O principal objetivo da obra é analisar a partir dos partidos políticos, as relações de conflitos e acordos entre a elite política chapecoense no período de 1945 a 1965, em torno da questão do poder local. A autora busca também identificar de forma restrita em que medida os elementos político-partidários estaduais e nacionais interferem na questão do poder local, enfocando a formação partidária, analisando os padrões de organização dos partidos políticos e ressaltando os critérios que definem as bases sociais e partidárias. 

Desde a criação do poder político do município de Chapecó, em 1917, até por volta da década de 30 e 40, caracteriza-se por um forte mandonismo, isto é, o poder na maioria do tempo nas mãos de coronéis ou pessoas ligadas a eles e a autora procura analisar a queda desse sistema e como ocorreu. 

A análise envolve o sistema pluripartidário que se instala a partir do momento em que a queda de Getúlio Vargas acelera a criação de novos partidos, bem como as mudanças socioeconômicas pelas quais a região passou e refletiram na estrutura do poder local.  

Sobre a autora

Monica Hass é graduada em Comunicação Social (Jornalismo), mestre e doutora em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), campus de Chapecó. É autora de livros e artigos sobre poder local, cultura política e democracia.



Tags da postagem