“Pensar, fazer e escrever” - Argos lança obra que ressalta o PesquisarCOM como política de pesquisa em Psicologia

Obra está disponível no formato impresso e e-Book

Em 24/07/2020 16:14
Atualizado em 24/07/2020 16:31

Notícia por Editora Argos

“Pensar, fazer e escrever” - Argos lança obra que ressalta o PesquisarCOM como política de pesquisa em  Psicologia

“Pensar, fazer e escrever: o PesquisarCOM como política de pesquisa em psicologia” é um lançamento da Argos e foi fruto de discussões oriundas do Grupo de Trabalho da ANPEPP  “Tecnologias, subjetividades, políticas e escritas de pesquisa”, que abrangeu diferentes possibilidades de pesquisa cujo fio condutor foi o PesquisarCOM como política de pesquisa que traz uma proposta de fazer pesquisa com o outro e não sobre ele, permitindo a abrangência em diversos campos e práticas e é nesse espírito que o livro foi organizado: diversidade, apostas metodológicas ativas, experiências vivas e práticas não hierarquizadas.

O livro foi delineado em seis momentos que dialogam entre si: “Parte I – PesquisarCOM a escrita e a oralidade”, sendo o agrupamento de artigos sobre as diversas possibilidades de escrever e contar histórias na pesquisa. “Parte II – PesquisarCOM imagem e tecnologia”, contando com o uso de imagens, mídias e recursos tecnológicos produzindo um modo de narrativa não apenas textual, mas também imagética. “Parte III – PesquisarCOM Cartas”, composto por dois artigos utilizando a carta, desdobrando os afetos e temporalidades na pesquisa em uma escrita performada em cartas.  “Parte IV – PesquisarCOM a sala de aula”, problematizando os fazeres acadêmicos e os actantes implicados na formação de futuros psicólogos, a partir de seu percurso como docente. “Parte V – PesquisarCOM a prática clínica”, inclui três propostas para pensarmos a prática clínica em psicologia e, por fim, a “Parte VI – PesquisarCOM outras relações”, que agrupa artigos que versam sobre possibilidades entre humanos e não-humanos, englobando a diversidade e peculiaridades relacionais que abrangem a prática de pesquisa.

A obra foi organizada com a proposta de afirmar modos não hegemônicos de pensar, fazer e escrever pesquisas, ressaltando o PesquisarCOM como aposta metodológica, compreendendo tal forma em sua dimensão política para a construção do conhecimento.

 

Sobre as organizadoras

Laura Cristina de Toledo Quadros Doutora em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social (UERJ). Professora Adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde atua na graduação e como colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social. Atuou como professora e coordenadora da Pós-Graduação Lato Sensu em Psicologia Clínica com ênfase em Gestalt-Terapia do Centro Universitário Celso Lisboa (UCL) de 2008 a 2012, e no Instituto de Atendimento e Pesquisa Psicossocial (IAPP), participando de projetos em diversas comunidades de baixa renda na cidade do Rio de Janeiro, no exercício de uma Clínica Ampliada. Ganhadora do II Prêmio Fritz Perls – ação social em Gestalt-Terapia (2009) e obtendo o segundo lugar no VII Prêmio Margarete de Paiva Simões Ferreira CRP/RJ (2014). Coordena o projeto de extensão (UERJ) COMtextos: arte e livre expressão na abordagem gestáltica e coordenadora adjunta do Laboratório Gestáltico: configurações e práticas contemporâneas, onde desenvolve atividades extensionistas voltadas para temas contemporâneos. É parecerista de periódicos científicos e da Faperj e participa do grupo de pesquisa CNPq “Entre_redes”. É mãe e vem de uma linhagem de mulheres crocheteiras e bordadeiras.

Marcia Moraes Graduada em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense (1988). Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992). Doutora em Psicologia (Psicologia Clínica) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998) e pós-doutora em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro/Lancaster University (2009/2010). Atualmente é Professora Titular do Departamento de Psicologia da Universidade Federal Fluminense, ministrando aulas na graduação e na pós-graduação stricto sensu – mestrado e doutorado. Desenvolve pesquisas ligadas aos seguintes temas: epistemologia da psicologia, psicologia e estudos de Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS), feminismos e estudos da deficiência. É mãe de um filho, nascido no ano de 1995, quando ainda cursava o doutorado na PUC/SP. Desde o ano de 2003 vem realizando pesquisas no campo da deficiência visual, fazendo uso de métodos e referenciais de investigação orientados pelos estudos CTS, em particular pela Teoria Ator-Rede. É bolsista da Faperj/Cientista do Nosso Estado.

Irme Salete Bonamigo Pós-doutora pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com estágio na Vrije Universiteit Brussel (VUB) como professora visitante (2016-2017). Doutora em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com período sanduíche na Ecoledes Hautes Etudes en Sciences Sociales (FR) (2007). Mestre em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1997). Graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Paraná (1987). É docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais e do Curso de Psicologia da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). Desde 2018 coordena o Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais – Unochapecó. Pesquisa principalmente os seguintes temas: Tecnologia e Sociedade (CTS), contemporaneidade e violências, tecnologias de vigilância, segurança pública, direitos humanos, políticas públicas e processos de subjetivação.


Tags da postagem