Postado em 10 de Abril de 2018 às 16h24

Oral por escrito. A oralidade na ordem da escrita, da retórica à literatura

Notícias em destaque (318)

Andrea Daher, professora de teoria e metodologia da história no Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenadora do laboratório de pesquisa em história das práticas letradas, reúne, no conjunto de textos que compõe este livro, autores nacionais e internacionais, como Hélio de Seixas Guimarães, João Adolfo Hansen, Marcello Moreira, Pedro de Niemayer Cesarino e Roger Chartier.

A obra Oral por escrito. A oralidade na ordem da escrita, da retórica à literatura aborda a formulação crítica sobre a presença do oral no escrito. Neste livro, o leitor pode perceber a evidente tensão entre oralidade e escrita, como propõe o título, em que o valor de um é posto no outro, embora seus sentidos permaneçam sempre presentes. Os textos reunidos na obra propõem formulações críticas sobre a presença do oral no escrito, segundo as modalidades históricas dos seus usos e na contramão de sua monumentalização.

Veja também

“Cinema, globalização e interculturalidade”26/07/16 A partir da década de 1990, os processos de globalização contribuíram para cada vez problematizar um cinema pensado exclusivamente a partir de uma cultura nacional ou dualidades como Primeiro e Terceiro Mundos. O desafio que se abre cada vez mais para os estudos de cultura e arte, mas pouco assumido nos estudos de cinema no Brasil, é o de pensar novas formas de exclusão e......
Unochapecó realiza nomeação da Biblioteca06/08/19 Gabriel Kreutz* A Biblioteca da Unochapecó é conhecida por possuir um dos maiores acervos do oeste catarinense, com mais de duzentos mil títulos. Porém, o abrigo de tanto conhecimento, em 49 anos da Instituição, ainda......

Voltar para Notícias