Postado em 21 de Dezembro de 2017 às 16h20

“O cheiro como critério: em direção a uma política olfatória em curadoria”

Notícias em destaque (318)
Essa obra é engajada em novas possibilidades de investigar a atividade de curadoria em seus aspectos inovadores. Entre eles, a possibilidade de abandonar estrategicamente o que o autor da obra, Gaudêncio Fidelis, chama de “regime do ocularcentrismo”, em que o olhar tornou-se o centro absoluto da construção das prerrogativas de formação canônica e, por consequência, regulador das abordagens interpretativas. Como alternativa, o autor propõe o olfato como uma via interpretativa a ser explorada, abrindo um campo de possibilidades para o engajamento de outros sentidos na realização de abordagens curatoriais para a produção artística. Ao fazê-lo, O cheiro como critério inova em sua perspectiva antiformalista do estabelecimento de plataformas curatoriais na atualidade, assim como dá sua contribuição para a produção de conhecimento original para a disciplina de História da Arte e afins.

Veja também

Argos promove 2ª Festa do Livro27/11/18 Este ano a Editora Argos completou 26 anos no mercado editorial. Para comemorar os objetivos alcançados e fechar o ano com chave de ouro, realizamos a 2ª Festa do Livro 2018.O evento aconteceu nos dias 22 e 23 de novembro em frente ao DCE na Unochapecó, e contou com o público interno e externo. Além das promoções de obras por R$ 5,00, mais de 40 mil livros foram......
Coleção Grandes Temas06/10/17 A Coleção, como diz no próprio nome, aborda grandes temas que estão presentes na sociedade, na vida empresarial e profissional, adentrando por assuntos discutidos acerca da filosofia, da arquitetura, da educação, da......

Voltar para Notícias