Postado em 08 de Fevereiro de 2017 às 16h20

“Freire e Vigotski: um diálogo entre a pedagogia freireana e a psicologia histórico-cultural”

Notícias em destaque (316)

Uma pedagogia para a qual o processo de conhecimento (aprendizagem) implica um movimento da consciência no sentido de ir e vir à realidade. O que indica a concepção de ser humano como sujeito concreto cuja feitura, para usar uma expressão de Freire, se tece na relação homem-mundo. Trata-se, portanto, de um sujeito ativo cuja atividade cognitiva traduz-se em instrumento de apropriação, compreensão e interação com a realidade.

A psicologia histórico-cultural preconiza a compreensão do funcionamento psicológico tipicamente humano como produto de relações sociais, ou seja, o humano é condição que não se herda biologicamente, mas se constitui no processo de apropriação que o indivíduo concreto, historicamente situado, realiza, dos artefatos materiais e simbólicos presentes na cultura. Por isso, tem a educação escolar como instrumento central para o processo de humanização na medida em que se compreende a prática pedagógica como espaço fundamental de mediação simbólica, de interações e de ações pedagógicas deliberadas, intencionais, voltadas para um fim que, em última instância, constitui-se no desenvolvimento de funções psicológicas tipicamente humanas. Assim, essa abordagem carrega em si instrumentos teóricos fundamentais para a compreensão do ser humano como sujeito sócio-histórico, e se essa leitura ou concepção responde as demandas centrais da pedagogia freireana, coloca-se o desafio de estabelecer comparações entre os conceitos centrais de tais teorias e verificar as possibilidades de diálogo efetivo entre ambas, tendo sempre em vista a qualificação da práxis pedagógica.

Veja também

177 anos de Machado de Assis22/06/16 Primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras, Machado de Assis (1839-1908) é um dos nomes mais importantes da literatura brasileira. Foi um autor completo, escrevendo romances, contos, poesias, peças de teatro, inúmeras críticas, crônicas e correspondências. “Helena”, “A Mão e a Luva”, “Iaiá Garcia” e......
Argos presente em evento internacional26/07/18 A professora da Unochapecó e coordenadora da Editora Argos, Rosane Silveira, participou no mês de junho, deste ano, do II International Symposium on Teaching Portuguese as an Additional Language (II SINEPLA – Simpósio Internacional......
“O golpe civil-militar de 1964 no Sul do Brasil”27/06/19 A obra “O golpe civil-militar de 1964 no Sul do Brasil”, organizada por Alessandro Batistella, é uma grande contribuição a atuais debates em relação ao “passado que não passa”. O livro aponta a......

Voltar para Notícias