Postado em 13 de Outubro de 2016 às 16h10

“Crítica literária: em busca do tempo perdido?”

Notícias em destaque (318)

De um lado, o autor, João Cezar de Castro Rocha, revisita a história recente da crítica literária brasileira, cuja versão dominante localiza a origem de sua modernidade na polêmica iniciada em 1948 por Afrânio Coutinho contra o “impressionismo” dos famosos “rodapés” que dominavam os grandes jornais da época. Álvaro Lins era o representante mais influente da crítica de rodapé; portanto, tornou-se o alvo preferido da campanha levada a cabo por Afrânio Coutinho. Castro Rocha propõe uma releitura radical dessa polêmica, apontando fatores novos na constituição da moderna crítica literária no Brasil: o advento dos meios de comunicação audiovisual e digital; o deslocamento consequente do objeto livro do centro de transmissão da cultura; transformações internas à própria linguagem jornalística.

De outro lado, Castro Rocha associa o triunfo da cátedra contra o rodapé à plena assimilação, ocorrida nos bancos universitários, do legado do Modernismo. Coube à universidade a legitimação dos escritores, poetas e artistas que participaram da Semana de Arte Moderna, processo ao qual se dedica um capítulo especial neste livro.

Na conclusão, o autor defende a criação de um novo tipo de comentário crítico. Comentário que, sem abrir mão das conquistas do ensino universitário, aprenda a dialogar com as preocupações típicas do público leitor, fecundando o ensaísmo acadêmico com a clareza do texto jornalístico, e, ao mesmo tempo, enriquecendo a visão crítica dos cadernos culturais mediante a formação universitária. Trata-se de imaginar uma crítica literária e cultural animada por uma bem-vinda esquizofrenia produtiva, valorizadora de analistas que saibam ser bilíngues em seu idioma.

Veja também

“Prospecções filosóficas: Platão e Aristóteles, Estética, Hermenêutica e Teologia”21/12/17 Reunidos aqui, neste livro, sob o título de “Prospecções filosóficas: Platão e Aristóteles, Estética, Hermenêutica e Teologia”, encontraremos alguns dos resultados de uma década de investigações do professor Fausto dos Santos Amaral Filho. Para ele, essa década foi marcada não tanto pelo teor ou pela quantidade das......
Divulgados vencedores do Prêmio Rio de Literatura30/06/16 O Governo do Rio de Janeiro e a Fundação Cesgranrio divulgaram os vencedores da primeira edição do Prêmio Rio de Literatura. Beatriz Bracher conquistou o prêmio da categoria Ficção, na modalidade Melhor......

Voltar para Notícias